EN / PT
Galeria Luciana Brito

Edições Especiais: Caio Reisewitz, Héctor Zamora, João Luiz Musa e Rochelle Costi

LB News
  • Héctor Zamora, Orden y Progresso, 2012
    1/5

Caio Reisewitz, Héctor Zamora, João Luiz Musa e Rochelle Costi apresentam fotografias inéditas na Luciana Brito Galeria

As obras fazem parte de uma nova série produzida pela galeria com tiragem de 60 exemplares

 

Em iniciativa para promover o colecionismo, a Luciana Brito Galeria lança, em 22 de agosto, obras inéditas dos reputados artistas Caio Reisewitz, Héctor Zamora, João Luiz Musa e Rochelle Costi. As fotografias, todas medindo por volta de 40 x 60 cm, foram especialmente concebidas para o projeto, e cada uma terá tiragem de 60 edições.

Caio Reisewitz (1967, São Paulo) apresenta a obra Mamanguá XV
; medindo 59 x 47 cm, a imagem integra a série Guanabara, desenvolvida desde 2009. Reconhecido por sua linguagem autoral, através da qual aborda os temas da arquitetura e paisagem, bem como as intrincadas relações entre meio ambiente e voracidade humana, o artista vive um momento de grande reconhecimento internacional: após expor no International Center for Photography (Nova York), no ano passado, apresenta neste ano individuais na Maison Europeénne de la Photographie (Paris) e no Huis Marseille Museum voor Fotografie, primeiro museu de fotografia de Amsterdam. 

 

Grande parte da produção de Héctor Zamora (Cidade do México, 1974) se dá fora de espaços expositivos tradicionais, através de intervenções e instalações em espaços públicos. O artista, que neste ano apresenta individuais no Palays de Tokyo (Paris) e no FRAC Pays de la Loire (Carquefou), além de ter participado da 12a Bienal de Havana, mostra na Luciana Brito Galeria a obra Orden y Progreso, de 40 x 60 cm. A foto registra uma performance homônima apresentada em Lima (Peru) em 2012, para a qual o artista instalou em uma praça – não por acaso, o Paseo de los Héroes Navales – um barco de pesca que foi totalmente desconstruído por trabalhadores locais ao longo de alguns dias, não restando nada além de uma pilha de madeira.

 

João Luiz Musa (1951, São Paulo), além de ser um dos fotógrafos mais influentes de sua geração, é também há décadas professor de fotografia na Escola de Comunicações e Artes da USP. Ele apresenta na galeria duas obras sem título, de 35 x 53 cm cada. Apesar de bastante diferentes entre si – uma paisagem praiana e uma cena de aeroporto –, elas carregam traços-chave de sua produção, como o impecável apuro técnico e estético e um olhar que remete ao gênero do fotógrafo viajante. Suas obras estão em importante coleções, como Itaú, Pirelli/Masp de Fotografia e MAC USP, entre outas.

 

Rochelle Costi (1961, Caxias do Sul) inicia sua carreira com fotografias de objetos que coleciona, começo de uma pesquisa sobre elementos e espaços privados que acarreta uma poética de intervenções diretas e deslocadoras nos códigos usuais da representação, desenvolvida até hoje. Este traço de estranhamento é evidente na obra apresentada agora na Luciana Brito Galeria, Contabilidade, de 39 x 59 cm, fotografia de um limoeiro em que todos os seus 382 limões aparecem numerados. Se muitas vezes Rochelle opera através de interferências de elementos orgânicos sobre imagens, neste caso, são elementos duplamente abstratos – números digitais – que causam uma ruptura em relação ao caráter de simulacro do registro naturalista. Suas obras integram relevantes coleções nacionais e internacionais, como Cisneros Fontanals Art Foundation e Inhotim.

 

Todas as obras foram produzidas em impressão com tinta de pigmento mineral sobre papel algodão Photo Rag 308g Hahnemühle.

Lançamento de edições: 22 de agosto (sábado), das 14h às 18h

Luciana Brito Galeria – Rua Gomes de Carvalho,  842, Vila Olímpia

Horário: Terça a sexta, das 10 às 19 horas; sábado, das 11h às 18 horas

Telefone: (+55 11) 3842-0634

www.lucianabritogaleria.com.br/contact